quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A Super Bactéria














Fala-se de uma super bactéria resistente a antibióticos proveniente de centros cirúrgicos e UTI’s de hospitais públicos e particulares do Brasil. A bactéria que tem por nome KPC (Klebsiella Pneumoniae produtora de Carbapenemase) tem sido motivo de mortes e muita apreensão. Seu primeiro surto foi em 2001 nos EUA, espalhando-se em 2003 com focos na Europa. O primeiro caso no Brasil foi em 2005. Neste momento ela reaparece com maior intensidade.

Lendo algumas informações sobre o assunto não deixei de avaliar minha vida espiritual. Imaginei como muitas vezes minhas exposições às pregações e sermões fizeram-me alguém imensamente resistente a própria palavra. Tornando-me vulnerável, pois quando sou atacado pelo maligno, às palavras e sermões não fazem efeito.
É fato que todos caem em pecado diariamente, pois a Bíblia assim nos assegura. É também fato que ao cairmos à recuperação torna-se imensamente difícil, principalmente ao grau que conhecemos a palavra. E essa dificuldade está diretamente ligada a uma bactéria espiritual da qual satanás tem usado para destruir nossa geração.
As pessoas são atraídas a pecar e ficam incapazes de recuperarem-se. Pelo íntimo contato com a palavra, satanás usa o remédio para maximizar a doença. Criando uma super bateria ao ponto de matar os mais experientes homens e mulheres de Deus.

“Levou-o a Jerusalém, e pô-lo sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo;
Porque está escrito: Mandará aos seus anjos, acerca de ti, que te guardem,
E que te sustenham nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em pedra.
E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: Não tentarás ao Senhor teu Deus.
E, acabando o diabo toda a tentação, ausentou-se dele por algum tempo.” – Lucas 4 versículo 9 ao 13


O intrigante nesta passagem é imaginar que a palavra foi usada como uma arma de satanás. E obviamente isso nos revela um segredo espiritual. satanás conhece a letra assim como muitos de nós. E somos expostos a ela quase que diariamente. Algo tão profundo e desafiador que pode libertar cativos, quebrar algemas e destruir toda sorte de males e doenças deste mundo. Mas quando mal direcionada pode levar-nos a outro alimento que não seja a palavra do Pai. Ou quem sabe adorarmos a algo ou alguém além d’Ele. Talvez então, tentarmos Sua soberana vontade e mandamento.
Quando um remédio é mal utilizado, ele nada mais é que uma droga perigosa e muitas vezes fatal. Assim como a KPC, a exposição contínua a antibióticos tornou o seu efeito ineficaz contra a doença.
Será que nossa longa exposição a palavra sem revelação, não nos tornou vulneráveis a super bactéria de satanás?

Durante a história da igreja passamos por muitos períodos...

Existiu um tempo que a igreja estava preocupada em esconder-se do mundo e jamais ser parte dele.

“E aconteceu que, estando sentado à mesa em casa deste, também estavam sentados à mesa com Jesus e seus discípulos muitos publicanos e pecadores; porque eram muitos, e o tinham seguido.
E os escribas e fariseus, vendo-o comer com os publicanos e pecadores, disseram aos seus discípulos: Por que come e bebe ele com os publicanos e pecadores?” – Marcos 2 versiculo 15 e 16


Existiu um tempo onde a igreja saiu de suas paredes e invadiu o mundo.

“E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé.” - Atos 6 versículo 7

E existe o nosso tempo, onde perambulamos entre os desbravamentos congregacionais e o total congelamento na ação da fé.

“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si mestres conforme as suas próprias concupiscências;” – 2º Timóteo 4 versículo 3

“Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;” - 1º Timóteo 4 versículo 1

Neste momento de nossa história contamos com um expressivo crescimento de nossa população “evangélica”, sendo sua grande maioria vítimas de prisões e vícios que os seguem desde sua conversão. Sendo eles muitas vezes vítimas de uma super bactéria espiritual.
As pessoas juntam-se ao redor de altares de mármore na esperança que algo além de palavras saiam dali. E para seu total desespero é só o que encontram. Pois a palavra sem a revelação do Espírito Santo torna-se apenas um livro. Mas o Espírito faz de palavras espada que despedaça o julgo.

Porque a resposta para a KPC está em antibióticos mais eficazes e potentes, o que tem permitido salvar inúmeras vidas ao redor do mundo. Assim como espiritualmente, está em posicionamentos mais incisivos e persuasivos em Cristo. Está na revelação que vem do doce Espírito do Pai, que nos transforma e liberta, pois não existe antibiótico mais potente que o sangue de Jesus Cristo. Também não existe farmacêutico melhor que o Espírito Santo, pois Ele não só conhece como revela diariamente cada benefício desse Remédio.

Quando então poderemos conhecer seu real efeito?

“E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.” – Jeremias 29 versículo 13

Não existe alguém que esteja invulnerável as hostes malignas. Porque se Jesus que é o próprio Deus foi tentado, como poderemos ser poupados?

“Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós;” – João 15 versículo 20a

Que dos nossos altares cesse a letra e emane apenas a revelação do Espírito.

“O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.” – 2º Coríntios 3 versículo 6

É momento de corrermos para os braços do Senhor, sem olhar pra trás. Em um amor desesperado que nos conduza a mais profunda cura.
Despertemos amados com paixão e lágrimas, para que vivamos ainda nesse tempo o grande avivamento prometido aos nossos pais.
Porque se isso não acontecer, fatalmente desceremos a sepultura com o Remédio nas mãos.

Que venha o Reino sobre nós.

Shalom Adonai