sexta-feira, 16 de julho de 2010

O Kairos de Deus














Neste último mês passei por um processo muito intenso com Deus. Ele veio como um compressor sobre o velho barro.
No começo do mês decidi escrever um artigo sobre o comércio com o nome Cristo e as grandes “empresas” que lucram com o evangelho. Mas não era o que o Senhor desejava, Ele queria algo mais profundo, pessoal e transformador.
O mês foi passando e cada dia que tentava postar ou escrever algo, se tornava mais difícil. Como se não houvesse nada para dizer.
Eu estava passando por um processo muito traumático. Entre o ide e o ide... O meu Ide e o Ide de Deus.
Eu queria ir pras Nações e Deus queria me enviar pro meu local de trabalho. Parecia absurdo. Afinal de contas no começo deste ano, Deus me pediu renuncias em várias áreas da minha vida e assim o fiz. E agora a única coisa que atrapalhava o nosso relacionamento era o meu emprego e Ele desejava que eu ficasse. Não. Isso não poderia ser real. Não poderia ser a vontade de Deus pra mim. Algo estava errado. Eu tive sonhos e sinais...
Nessa peleja com Deus que parecia interminável, meu artigo estava entre os assuntos dos quais gostaria de discutir com o Senhor. Afinal, eu deveria exortar a igreja e toda a sua prática imunda, deturpando a redenção em Cristo e banalizando o Seu sacrifício.
Pobre de mim não estava entendendo o que Ele queria...
Deus não estava querendo clamor, voz profética ou palavras de impacto, mas desejava um encontro comigo. Colocar-me no colo, passar Suas mãos pelos meus cabelos e dizer:
“-Filho, o meu tempo é soberano. Ele é perfeito. Não tarda e não falha. É o melhor pra você.”
Eu viajei. Fui para um seminário com meus pais. Não tinha dinheiro suficiente, mas realmente desejava ir.
Cheguei naquela cidade sem conhecer ninguém, apenas com o telefone do responsável pelo evento. Liguei pra saber como fazíamos para chegar à igreja e ele prontamente se ofereceu em buscar-nos. Fiquei maravilhado com Deus.
Quando chegamos, ainda sem lugar certo para dormirmos, deixamos nossos colchonetes na igreja, ainda deslocados sentamos em algumas cadeiras do escritório e ali ficamos.
Logo fomos convidados para assistir o jogo do Brasil na casa de um irmão. Fomos extremamente bem recebidos e nesta festa uma irmã nos perguntou aonde dormiríamos. Eu prontamente disse que provavelmente em uma creche, mas ela disse que dormiríamos na sua casa. Deu-nos a chave de sua casa, sem nunca ter nos visto e deu sua cama e de sua filha para que dormíssemos nelas. E durante três dias entramos e saímos daquela casa, como se fôssemos proprietários dela. Com as chaves nas mãos, muitas noites nós vínhamos mais cedo dos cultos e entrávamos e dormíamos antes que elas chegassem.
Eu fico espantando toda vez que conto isso, porque nesses três dias não usamos uma única vez os colchonetes. Eu sinceramente não podia crer que uma mulher que nunca nos viu desse a chave de sua própria casa para que dormíssemos em sua cama. Não havia uma explicação que não fosse o poder, o amor e o cuidado de Deus.
Fomos extremamente visitados pelo Senhor nesses dias e não faltou absolutamente nada para nós. Deus foi tremendo e fiel em tudo.
Ele me mostrou ciclos sendo fechados, enquanto outros eram abertos. Algo muito profundo e ao mesmo tempo, muito pessoal.
Vários sinais ocorreram naquele lugar, entre eles um encontro inesperado, que futuramente, o Senhor me dará chance de contar...
Sinceramente não posso explicar a mudança que aconteceu em mim. Deus realmente me inundou em Sua avassaladora paz.
Neste momento há em mim uma alegria tão contagiante que se pudesse os levaria a mesma sintonia. Algo que não posso descrever. Mas algumas mudanças de pensamentos eu quero compartilhar:

“Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.” – 2º Pedro 3 versículo 8.

Os únicos que podem adiar os planos de Deus para nossas vidas, somos nós mesmos.
Foi assim com Jonas que enviado para Nínive afim de pregar aquele povo, desviou-se de seu caminho a procura de seus próprios interesses. Ele conseguiu adiar os projetos de Deus pra sua vida e também para aquela cidade. E as promessas de Deus que deveriam ser cumpridas imediatamente levaram dias já que ele foi lançado ao ventre de um grande peixe, onde permaneceu por três dias para que entendesse os propósitos do Senhor.
Somos assim como Jonas. Acreditando em nossos próprios propósitos e sonhos e acreditando que podemos fazer o nosso caminho segundo os nossos interesses.
Então as promessas de um único dia, se adiam até mil anos. Afinal a nossa soberba e insubmissão nos fazem afastarmos do centro da vontade de Deus e trilharmos por caminhos longos e desnecessários. Mas quando somos fiéis aos Seus desígnios e cremos em Sua Palavra as promessas de mil anos podem se concretizar em apenas um dia, porque elas estão inteiramente ligadas ao nosso livre arbítrio, em correspondermos com o Espírito de Deus.
É isso que o Senhor quer nos ensinar nessa passagem.
Apenas Corresponda ao Espírito Santo!

“Se formos infiéis, Ele permanece fiel; pois não pode negar-se a si mesmo” – 2º Timóteo 2 versículo 13

O nosso grande erro quando tornamo-nos cristãos, é a nossa soberba.
Sempre estamos acima de tudo e de todos e os erros dos outros se tornam mais visíveis e passíveis de críticas e julgamentos que saem do trono que construímos para o nosso ego.
Interpretar este versículo é uma forma de avaliar o quão exaltados estamos em nossa suposta superioridade.
Durante muitos anos e até mesmo através de canções, fui ministrado que mesmo que permaneçamos infiéis, o Senhor sempre será fiel a nós. Mas esta é uma petulância egoísta proveniente de nosso ego inflamado, que se recusa a morrer e se prostrar diante da infinita superioridade do Pai.
A palavra diz que o Senhor é fiel, pois não pode negar-se a si mesmo, ou seja, o Pai não pode negar a Sua palavra. Ele prometeu e é fiel e justo para cumprir. Ele não tem fidelidade a você ou a mim, mas sim a Sua santa palavra que não pode voltar a trás e jamais será descumprida. Sendo assim amados, entendi que no meio do meu umbigo, não existe nada além de exaltação a mim mesmo. Que devo gratidão ao Senhor. Porque Suas promessas são reais em mim.

“Não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim.” – Gálatas 2 versículo 20

Nosso evangelho está cheio de jargões e palavras emocionantes que assim como bolhas de sabão são levadas de um lado a outro até explodirem no vazio. São lindas e fortes, mas não produzem nada mais que emoção passageira.
Quando dizemos um versículo como este, somos tomados por uma emoção e nos enxergamos como super cristãos que são intocáveis e estão no centro da vontade de Deus. Mas a realidade está longe disso.
Ao examinar a minha vida com esta passagem, me vi em uma situação muito confrontante...
Se não vivo mais, então não importa o que penso, o que quero, aonde quero, com quem quero, em que tempo quero, pra onde vou ou em que tempo vou... Mas importa quem vive em mim. Se Cristo é quem vive devo perguntar-me:
-“Senhor, o que Tu pensas?”
-“Pai, onde Tu queres ir?”
-“Amado, com quem queres falar?
-“ Deus, quando queres agir?”
-“Quando Tu irás?”
Porque não sou eu quem faz, mas é Cristo em tudo e em todo o tempo. Eu apenas sou um canal, como uma casa que comporta a presença Santa de Cristo. Isso me faz instrumento d’Ele, para que vejam apenas a Sua glória e não mais a minha.
Amados, é necessário que desçamos a casa do oleiro. Para sermos moldados em Suas doces mãos de Amor.

Viver o Kairos de Deus é esvaziar-se completamente dos conceitos em tempo, espaço, física e matemática humana. E simplesmente estarmos disponíveis para que Ele execute todas as coisas em Seu tempo, em Seu propósito e pra Seu Louvor.
Senhor, eu Te louvo.
Perdoa-me.